quarta-feira, 10 de junho de 2020

Ronaldo Fenômeno: A Referência de uma geração

Números de Ronaldo antes e depois de suas lesões 

9️⃣ Questionar a grandeza e o peso do nome de Ronaldo para o futebol é, no mínimo, insensatez. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

⚽️🏆 O Fenômeno, como é conhecido, provavelmente seja a principal referência para uma geração que hoje se situa entre seus 30 e 35 anos. Muito pelo fato de que sua explosão como jogador, impulsionada pelo “boom” publicitário da entrada de uma grande marca de material esportivo na modalidade, tenha coincidido com a pré-adolescência dessa turma. Período esse onde a busca por um herói para imortalizá-lo é quase que uma obrigação. E o sintoma disso é a dificuldade de algumas pessoas em aceitar que muitos concorrentes de épocas posteriores possam ser superiores ao seu ídolo de juventude. ⠀⠀
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
9️⃣ Ronaldo foi ótimo, definitivamente um craque, mas o nome que ostenta entre seus fiéis defensores (e que por vezes essa defesa parece até religião), induz a acharmos que o ex-camisa 9 da seleção tenha enfileirado títulos e artilharias durante longas temporadas. Não é verídico!
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
9️⃣⚽️ Ronaldo teve sim, um excepcional começo de carreira, talvez o melhor que já se viu em termos estatísticos no futebol moderno, é verdade, mas o fato é que nem mesmo antes das lesões e com o ápice precoce atingido, conseguiu alavancar seus clubes de patamar. 
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
😫🤷🏻‍♂️ Quanto aos anos pós-contusões, não podemos creditar a queda de rendimento do astro apenas ao azar das enfermidades. É notório e conhecido de que houve descaso e descomprometimento com a carreira após o conforto da consagração. ⠀⠀⠀⠀
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🏆⚽️ Consagração essa que veio com a camisa da Seleção. E ali, R9, enquanto motivado (isso exclui a péssima Copa de 2006) sempre correspondeu, sejamos justos, mas devemos lembrar que, nem mesmo no pico de sua forma física, foi protagonista unânime da “Amarelinha”. Ora tinha Romário, ora tinha Rivaldo e Ronaldinho Gaúcho para dividir o estrelato.

terça-feira, 9 de junho de 2020

A Invasão Holandesa

O trio de ouro do AC Milan 

⚽️🏆 Se o Barcelona é assumidamente agradecido ao futebol holandês pelos métodos implementados por Johan Cruyff, o Milan também é muito grato aos Países Baixos por ser o berço de três dos melhores jogadores que já atuaram com a camisa rossonera. E juntos, fizeram do clube italiano, o mais dominante da Europa entre o fim dos anos 80 e meados dos anos 90. 
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⚽️🏆 E naquele período, Frank Rijkaard, Marco Van Basten e Ruud Gullit não só ajudaram o Milan a se tornar um grande campeão, como deram ao seu país o único título que possui até os dias de hoje: a Eurocopa de 1988.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
📉 Desempenho de cada um no Milan: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
💣 Marco Van Basten ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🏟 201 Jogos
⚽️ 124 Gols
👞 2x Artilheiro da Serie A (89/90 e 91/92)
👞 Artilheiro da Taça dos Clubes Campeões Europeus (88/89) ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🏆 Campeonato Italiano: 1987–88, 1991–92, 1992–93
🏆 Supercopa da Itália: 1988, 1992, 1993
🏆 Liga dos Campeões da UEFA: 1988–89, 1989–90
🏆 Copa Intercontinental: 1989, 1990
🏆 Supercopa da UEFA: 1989, 1990
🏆 Trofeo Luigi Berlusconi: 1992, 1993, 1994 ⠀⠀
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🎩 Ruud Gullit ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🏟 171 Jogos
⚽️ 56 Gols
🏆 Serie A : 1987–88, 1991–92, 1992–93
🏆 Supercopa da Itália: 1992, 1994
🏆 Liga dos Campeões da UEFA: 1988–89, 1989–90
🏆 Supercopa Europeia: 1990
🏆 Copa Intercontinental: 1990
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⛑ Frank Rijkaard ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🏟 201 Jogos
⚽️ 26 Gols
🏆 Campeonato Italiano: 1991-92, 1992-93
🏆 Supercopa da Itália: 1988, 1992
🏆 Liga dos Campeões da UEFA: 1989, 1990
🏆 Supercopa Europeia: 1989, 1990
🏆 Copa Intercontinental: 1989, 1990
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
💣🎩⛑ Juntos eles venceram: ⠀
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🏆 Campeonato Italiano (91/92 e 92/93)
🏆 Supercopa da Itália (1988 e 1992)
🏆 Liga dos Campeões da Europa (88/89 e 89/90)
🏆 Mundial Interclubes: 1989 e 1990
🏆 Supercopa Europeia: 1989 e 1990
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

UMA DÉCADA DE CHUTE RÁPIDO

10 anos de Blog Domino Chuto
10 não é para qualquer um! 

E é com imenso orgulho que o Domino Chuto comemora, nesse mês de Outubro, seu décimo aniversário. 

Obrigado de verdade aos poucos - e bons - leitores e seguidores, sejam eles por amizade ou interesse no assunto. Espero estar com vocês por muito mais tempo! 

quinta-feira, 4 de julho de 2019

CORTOU PARA A ESQUERDA E DISSE ADEUS

Certamente Arjen Robben foi um dos maiores da década

Em sua carreira, Arjen Robben driblou inúmeras contusões, uma doença séria, vários grandes zagueiros e, por fim, seus fãs, que se surpreenderam com a despedida definitiva dos gramados desse que foi um dos melhores jogadores de sua geração. 

Robben foi um excepcional driblador, de muita rápidez e que em seu auge, era mortal no arremate com a perna esquerda. 

Na opinião do blogueiro que vos escreve, o atacante holandês poderia ter sido ainda maior se não tivesse perdido um gol cara a cara com Iker Casillas na final da Copa do Mundo de 2010 (gol esse que daria o primeiro título mundial a Holanda depois de duas finais perdidas nos anos 70) e tido o azar de ser mais um gigante coadjuvante em um período dominado pela guerra Messi x Cristiano Ronaldo.

Dito isso, Arjen Robben foi um dos meus prediletos entre tantos craques que encantaram nesses últimos anos. Obrigado, monstro!

quinta-feira, 2 de maio de 2019

O CÉREBRO QUE MUDOU O FUTEBOL

Xavi Hernandez: Um mito do futebol espanhol 
Xavi diz adeus aos gramados e com sua ida, o futebol perde um dos maiores representantes da mudança que esse esporte sofreu dentro das quatro linhas nos últimos anos. 

Foi através de seu estilo de jogo de posse de bola com extrema categoria e passes precisos, seja para controlar ou atacar, que Barcelona e Seleção Espanhola construíram uma era dominante por um longo período. 

Só nos resta agradecer a esse gênio do meio-campo e conter a ansiedade na espera pela sua trajetória como treinador. 

Carreira de Xavi Hernandez em números:

Pelo Barcelona: 769 jogos / 85 gols / 182 assistências
Pela Sel. Espanhola: 133 jogos / 12 gols / 28 assistências
Pelo Al Sadd (contando): 84 jogos / 22 gols / 28 assistências 

quarta-feira, 4 de abril de 2018

CR7: uma máquina genial ou um gênio mecânico?

CR7 arma a bicicleta para matar a Juventus na Itália 

Não dá mais para negar, Cristiano Ronaldo é sim o maior e melhor atacante de todos os tempos.

Dotado de inúmeras ferramentas em seu repertório para finalizações, o português vem provando ano a ano que no ofício de fazer gols ninguém foi ou é melhor do que ele.

Na possível discussão, muito se falará de nomes como Gerd Muller, Romário, Ronaldo Fenômeno, Ibrahimovic, Luis Suarez, Van Basten e tantos outros, mas o fato é que nenhum deles chega perto do que vem fazendo o Gajo. 

Se perante alguns dos citados, Cristiano leva desvantagem no talento natural, com certeza compensa na extensa regularidade e nos múltiplos recordes quebrados através de muito trabalho e profissionalismo. 

E se em seu íntimo, você ainda nega algo que é óbvio, aqui vai algumas lideranças em estatísticas que o camisa 7 do Real Madrid e seleção portuguesa ostenta:  

- Maior artilheiro da história do Real Madrid
- Maior artilheiro da história da Uefa Champions League
- Maior artilheiro da história do Mundial de Clubes FIFA
- Maior artilheiro da história da seleção portuguesa
- Maior artilheiro da história das Eurocopas
- Maior artilheiro da histórias das Eliminatórias Europeias 

Felipe Reis

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Um "obrigado" com gosto de cobrança

Ronaldinho Gaúcho ganhou tudo o que podia na carreira
Sabe aquela sensação de ser gigante, mas que poderia ter sido ainda maior? É o que Ronaldinho Gaúcho deixou no pensamento de todos nós.

Nem mesmo os dois prêmios de melhor do mundo (2004 e 2005) e todos os títulos possíveis no currículo, seja por clube ou seleção, impedem os torcedores de refletirem sobre que patamar (que já é altíssimo) R10 poderia ter alcançado se tivesse levado sua carreira com mais comprometimento.

Referência e ídolo para os mais novos, Ronaldinho foi como uma espécie de resgate do futebol arte aos mais velhos. Em certo período, era ele o diferente, era ele o genial dentro das quatro linhas. É bem verdade que pela seleção brasileira, o craque nunca demonstrou a mesma qualidade que desempenhava nos clubes durante seu auge, ainda assim conseguiu ter papel importante nas conquistas da Copa do Mundo de 2002 e da Copa das Confederações de 2005, sem contar o gol antológico marcado contra a Venezuela na Copa América de 1999, quando era apenas um garoto.

Então como cobrar algo a mais de um jogador que fez tanto? É simples, por sabermos do que era capaz de realizar no ápice, ver sua queda de produção notória após a Copa do Mundo de 2006, nos deu um sentimento de vazio e até raiva. Isso mesmo, raiva! Raiva por não compreender como aquele "mago", inteligentíssimo com a bola em seu domínio, não entendia o que seu talento representava na época e por simplesmente ter "largado de mão", sem mais nem menos, uma trajetória tão gloriosa.

Apesar disso, com sua aposentadoria, R10 deixa um legado de grandes fãs dentro do futebol. Jogadores como Messi e Neymar, que hoje são os ícones do que esse esporte tem de melhor e que na opinião do blogueiro que vos escreve já superaram o agora ex-atleta, exaltam com extremo louvor a habilidade do astro com a bola nos pés. E se até dois extraordinários como esses agradecem o "Bruxo" por ter existido, como nós, simples mortais e meros torcedores, não agradeceríamos? Obrigado, Ronaldinho!

Felipe Reis